segunda-feira, 6 de julho de 2009

Tudo novo de novo, de novo

Então é isso. Tudo novo de novo. Um novo provisório, mas que nem por isso significa menos angustiante. Angustiante nem é bem a palavra. O que estou sentinto está mais para apreensão. Passada a primeira semana, já posso compartilhar algumas impressões. E muitas dúvidas.

Sair da avenida central do bairro para uma rua sem trânsito de ônibus ou caminhões me deu um presente que eu só esperava receber na aposentadoria: ouvir som de pássaros entrando pela janela do quarto. Sim! Em plena Tijuca, acreditem. Sair de casa cruzando com pessoas voltando da padaria com saquinho de papel com pães e crianças uniformizadas também é bem agradável.

Dividir apartamento é uma arte, ou seria uma técnica que deveria ser ensinada em curso específico. Não sei se faço barulho demais ou de menos. Se como ou ofereço comida. Se converso ou fico calada. O limiar de "o meu espaço termina quando começa o do outro" quando se divide apartamento é muito complicado de identificar. No sábado, por exemplo, eu queria aconpanhar o jogo entre Flamengo x Vitória e pedi para ligar o rádio. A resposta foi meio óbvia: "Claudinha, você agora mora aqui, não precisa pedir nada. Pode ficar à vontade. De verdade." Legal. Então eu, com medo de ficar espaçosa, estou ficando chata. Muito complicado isso.

Não sei bem como estou me saindo. Se peço um feedback vai parecer muito formal e continuaria sendo a chata. Resolvi escrever sobre o assunto e torcer para especialistas nessa arte leiam este pequeno relato inicial e me prestem um oportuno serviço de consultoria. É eu sou meio absada, sim. Será que tem jeito?

PS: Sem ilustração por enquanto. Como ainda não liguei meu PC, estou usando e abusando do note de minha roomie. ;-)

5 comentários:

Ana Cláudia Bessa disse...

Dê tempo ao tempo, calma, você vai descobrir o tom certo dessa relação. :)

Lion disse...

Isso só se sabe com o tempo... daqui a algumas semanas cê já tá fechando a geladeira com o pé... aí cê já vai saber como funciona isso.

C@rlos disse...

Oi, já dividi apartamento com um amigo meu.
Realmente é dar tempo ao tempo e vocês vão se ajustando aos poucos.
Mesmo quando discordarem de algo, é possível ter um diálogo tranquilo e chegar a um consenso.
É só manter o diálogo, o respeito e, na dúvida se algo vai incomodar ou não, pelo menos nesse início, é melhor perguntar mesmo.
Depois vocês naturalmente vão estar entrosadas e já vão saber o que incomoda uma a outra.
Espero ter ajudado.
Beijos e boa sorte!
Carlos André

Ock-Tock disse...

Salve, vizinha

Há duas coisas igualmente importantes em dividir um apartamento que devem ser consideradas: 1) respeitar o espaço e, principalmente, os humores de sua roomate e 2) saber curtir juntas o espaço em comum. Se vocês têm gostos em comum, pratique-os com ela: assistam DVDs, joguem conversa fora, saiam, etc. Parece até que estou descrevendo um casamento, né? É quase isso, só que sem o benefício do cobertor de orelha na noite fria...

Quanto aos passarinhos cantando, você ficaria impressionada com os diversos cantos da Tijuca que parecem te tirar da cidade grande. Quando digo que sou apaixonado por esse bairro, tenho lá minhas razões ;-)

Boa sorte em sua "morada provisória" e, se precisar de uma xícara de açúcar emprestada, é só bater!

Lua @happymoon disse...

Cara, é simples, vocês tem os mesmos direitos. Estabeleçam regras de limpeza, compras de mercado e semelhantes.
No mais, conversem, tirem todas as dúvidas entre sí sobre o que uma gosta/não gosta... não é tão difícil, é só cuidar bem da sua "metade" da casa.

bjs