terça-feira, 6 de abril de 2010

Impotência

Não estou vivenciando ou presenciando in loco o caos na cidade do Rio de Janeiro. Comentei no último post que estou a 200 quilômetros de distância. Mas isso não diminui o aperto no meu coração. Eu juro que o lugar onde eu mais queria estar agora era lá. No meio do turbilhão, mas perto da minha família e amigos. É um dos sentimentos mais angustiantes que me lembro ter sentido na vida. Total impotência. E um tanto de revolta. Tenho ciência de que o volume de água foi absurdamente maior do que o natural. Mas me revolta ter que encarar o fato que temos que viver cada tragédia como se fosse a primeira vez. Me revolta ver que mudam os governantes e nenhum deles nunca nos dará a mínima infra-estrutura para que a gente tenha alguma chance nessa frequente luta contra o imprevisto. Me revolta ver que o povo continua jogando lixo na rua e destruindo encostas mesmo sabendo que isso nos condena todos ao caos notório das últimas 30 horas. Me revolta - e muito me entristece -estar longe de quem amo e me sentir impotente. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Toda tragédia nos faz sair da toca e questionar os acontecimentos. A maioria da benfeitorias acontecidas na humanidade, foram criadas após um evento catastrófico , ou sofrimento de alguém. Esperemos então que ao menos sirva para nos previnir e organizarmos para o futuro. A natureza esta alertando. Não poderemos ficar inertes mais.
bjs

vanessafoto disse...

Claudia,

boa tarde.

A Petrobras gostaria de te mandar um Press-Release, e para isso precisamos de algumas informações: nome completo, telefone, endereço completo, tamanho de camiseta e time do coração.

Fique a vontade para entrar em contato comigo e se possível enviar as informações ainda hoje por favor!

Muito obrigada,

Vanessa Marques
vanessafoto@uol.com.br
Assitente de Produção / colmeia
www.colmeia.tv