quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

Aí eu me pergunto

Saí da sala de cinema ao terminar o Cálice de Fogo já pensando não só como será a versão cinematográfica da Ordem da Fênix mas também já nas Crônicas de Narnia. É mole? E desde então passei a me perguntar qual seria o porquê dessa minha fascinação pelo mundo fantástico. Basta olhar no perfil aí do lado e você saberá exatamente a que me refiro ao conferir a minha lista de preferidos, sejam os livros ou os filmes. São muitas histórias que falam de magia, mitologia, batalhas medievais, outros mundos.

O que isso tudo quer dizer? Que vivo fugindo da realidade? Que sonho demais? Que tive uma infância altamente influenciada pela imaginação, ou o contrário, que não tive infância? É... Definitivamente não sou boa em auto-análise. Sei não, mas acho que não é nada disso (não consigo sequer participar de promoções do tipo “responda que mágica você faria em si mesmo e por quê?”). Acho que o que o me impressiona de verdade é a tal da imaginação. O poder da imaginação pura e aplicada. É admirar a capacidade criativa das mentes por trás das idéias. Fico horas pensando de onde saem as inspirações para nomes e cenários e magias e tramas e sabe-se lá mais o quê. Acho que por isso gostei tanto de Em Busca da Terra do Nunca, que mostrou as conexões entre o cotidiano de um homem e a grande obra que ele criou a partir de gestos e atitudes basicamente banais. Talvez porque me considere a menos criativa das criaturas, sei lá. Invejinha, quem sabe?

Se esse monte de imaginação e fantasia é uma coisa boa ou ruim? Também não sei. Alguns vão dizer que se trata de mais uma forma de fazer o povo não pensar ou coisas “verdadeiramente” importantes. Outros vão dizer que o mundo precisa é de mais gente com fantasia e imaginação na cabeça e no coração. Eu prefiro me juntar a estes, em busca de autores e cineastas que nasceram com uma farta porção Atreiú dentro de si, dispostos a defender a Imperatriz Criança e o reino de Fantasia da ameaça do Nada. Let the magic begin!

10 comentários:

Sérgio disse...

Clau,
Compartilho com você essa ânsia de saber como as pessoas podem ter tamanha criatividade e imaginação na construção de enredos tão interessantes e mágicos.
Acho que nossa diferença reside no fato de, apesar da curiosidade, não me prendo muito a ir atrás do porque.Simplesmente curto os filmes, séries, seja lá o que for como um instrumento de diversão e entreternimento.
O que ma fascina mais talvez seja como tudo foi feito, mas aí acho que entra a característica do meu signo ( aquário ) voltado muito para essa área de tecnologia.
E que venha mesmo mais mágica nas telas e em nossas vidas !

Dani disse...

Os filmes fantásticos são realmente muito bem-feitos, e quase nos fazem acreditar que, numa dimensão paralela, aquilo tudo existe de fato.
Não sou exatamente o que pode se chamar de fã do gênero, mas eu confesso: estou curiosa para ver "Crônicas de Narnia". :-)

Bjs!

Poly disse...

Claudinha,
o que mais me fascina nisso tudo, como o Sérgio colocou... é o fato de ficar fascinada com a maneira que tudo foi produzido...
Além das idéias fantásticas, admiro principalmente a evolução tencológica das produções...

Signorina Antonucci disse...

Olá.
Tudo bem?
Apesar do que você disse, acho que você tem um mínimo de imaginação menina - poderia combater o Nada e salavar a Imperatriz Menina.
Aliás, terminei pela segunda vez o Harry Potter e vi o filme também.
Se quiser prosear a respeito...

Bijus.
PS: Se acreditar em fadas, bata palmas! ;)

Ferno disse...

É, esse filme do Harry é tudo. E o lance do FALE era mesmo a maior chatice do livro, que bom que foi cortado no filme. Mas faltaram os Dursleys, a sra. Weasley... muita coisa. Mas gostei do resultado final; o filme ficou bem objetivo e intenso.

Claudia disse...

CLAP CLAP CLAP!!!!
;)

nica disse...

Acho que não preciso falar muito sobre meu apreço por obras de fantasia e o poder da imaginação humana. Acho que é isso que realmente nos diferencia dos outros animais - não apenas a linguagem, mas a capacidade de abstração que gera mundos paralelos, universos fantásticos e dimensões mágicas. Adoro! :)

Re B disse...

Eu curto fanstasia, mas me assusta um pouco quando vejo que às vezes as pessoas mergulham fundo demais nelas... leia o livro, veja o filme, compre o dvd... beleza. Mas mais que isso eu acho meio fuga da realidade... eu falo isso pq vejo pessoas - adultos - assumindo para si a personalidade dessas criaturas fantásticas, e isso me preocupa. é preciso abstrair sim, entrar na história, mergulhar mesmo. Mas é preciso saber sair também. Beijos!

Deby Lam disse...

Ha puco tempo comecei a gostar fe filmes de fantasia como Harry Poter e Em busca da Terra do Nunca q achei fantastico!Mas concordo com a Re q qdo os adultos assumem as personalidades das criaturas já é passar dos limites.
Ah passa no meu blog novo.
Vou tentar colocar um link do seu blog!
Bjs

Ricardinho disse...

Ñ tenho facilidade pra escrever como vc, que por sinal o faz muito bem, só que a mágica esta na capacidade de nos mantermos vivos nas adversidades e com certeza no final dar enormes gargalhadas!!!
Creio muito na fantasia do espírito, na liberdade da alma, na certeza da mente e no amor do coração que impulsiona as grandes cabeças que nos impresionam cada vez mais no mundo mágico do cinema.
Eu já vi Harry Poter e As Crônicas de Nárnia e simplesmente adorei os dois, não pela similaridade com livros, mas pela idéia de que tudo é possível!
Mil beijos !!!