quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

Finalmente Harry

Demorei mas acho que já dá pra falar do Cálice de Fogo sem a empolgação inicial que, muito provavelmente, me faria ser odiada por todos aqueles que ainda não viram o filme ou pior, não leram o livro. Basta dizer uma coisa: duas vezes. Fui ao cinema duas vezes pra assistir à minha aventura preferida do bruxinho. O livro é grande mas é intenso, muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, muitas conexões se revelando, mocinhos e vilões novos surgindo. O filme é acelerado, dinâmico, envolvente. Não consigo nem dizer se quem não leu os livros ficou perdido, como alguns releases divulgaram... O filme leva em conta a trama principal, o Torneio Tribruxo e o encontro tão esperado entre Harry e, errrr, Você-sabe-quem. O restante foi cortado sem dó nem piedade. Como esse é meu capítulo preferido da saga, senti falta de quase tudo (exceto da chatice do F.A.L.E.) e achava que deveria haver uma versão super-mega-hiper estendida em DVD o quanto antes. Mas acho que vou ficar na vontade... Bom, justiça seja feita e tenho que dar a mão à palmatória: nunca mais falo mal do Ralph Fiennes. Simplesmente fantástico. Agora é começar mais uma contagem regressiva e, enquanto isso, que venham As Crônicas de Narnia.

2 comentários:

Sérgio disse...

Oi,
Não sei bem o que comentar a respeito de "Cálice de Fogo".Se te disser que saí inteiramente satisfeito, estaria mentindo.Como você, também acho que faltou muito coisa ainda no filme.Espero que a sequência seja mais esclarecedora.Mas confesso que ainda me sinto muito preso a minha preferência descarada e declarada pelas aventuras de Frodo e seus amigos !
E como você sabe, minha frequência aos cinemas aumentou consideravelmente e em todos os filmes que tenho assistido, sempre tem passado traillers de "As Crônicas de Narnia".Esse fato só serviu para aguçar ainda mais minha curiosidade e vontade de assistí-lo.Depois vamos trocar figurinhas a respeito.
Beijos

nica disse...

Também gostei do filme, guardadas as devidas proporções - ficaria difícil fazer um filme interessante e assistível levando em consideração as 500 páginas do livro. Só fiquei com pena de ver o Ralph Fiennes tão feioso. :)