domingo, 27 de novembro de 2005

Mulheres e seus Segredos

Uma amiga costumava dizer que o problema da humanidade seria o excesso de testosterona. Não concordo tanto assim, mas essa semana, por duas vezes, lembrei-me disso. Constatar o lado essencialmente podre da alma de alguns seres humanos me enoja.

A primeira foi ao ler
este post da Nicole. Nica conta sua consternação ao perceber que na Inglaterra, se uma mulher bebe e usa roupas provocantes, é como se estivesse estimulando o próprio estupro. Lembram de Thelma e Louise? Seria aquela situação. É repulsivo perceber que impera um machismo velado e sistemático que dá aos homens um status de superioridade e, consequentemente, de impunidade. E digo “dar direito” bem consciente pois, uma vez que um crime não é punido, no meu entender, ele é estimulado. É desesperador ver que estamos falando de um lugar onde acesso à educação e informação não é necessariamente um problema. E se pararmos para pensar com bastante cuidado, veremos que a lei brasileira pode até ser bastante diferente nessa questão, classificando o estupro como crime hediondo, mas a nossa sociedade hipócrita pensa exatamente igual à londrina. É sempre a mulher que provoca.

A segunda foi ao conhecer o drama de uma mulher que, durante sua infância e adolescência, foi assediada por seu padrasto. Enquanto eu via casos assim na ficção, eu até parava para pensar, conjecturava, especulava, mas sem investir realmente muito tempo nisso. Logo me distraía e abstraía. Mas desde que ouvi a história dessa mulher não consigo deixar de pensar em outra coisa, de me colocar no lugar dela. Que doença é essa que assola um homem a ponto de fazê-lo preferir destruir a vida da família inteira que ele próprio escolheu e que o acolheu para ter desejos satisfeitos? O que lhe deu esse direito? O que as pessoas próximas poderiam fazer? O que a mãe dela poderia ter feito? O que se passou pela cabeça das duas? Pensando no assunto anterior, será que a sua mãe pensava que a menina estaria seduzindo o padrasto (convenientemente esquecendo que, até então, essa criança achava que ele era seu pai verdadeiro)? Por mais que eu pense, não tenho respostas. Ainda hoje ela enfrenta problemas por conta desse passado. Não me refiro a problemas psicológicos, mas a questões práticas, como convivência familiar. A única conclusão a que cheguei é que, além de vê-la como uma amiga dedicada, uma pessoa alegre, otimista, positiva e prestativa – como a conheci há algum tempo – hoje, a vejo como uma mulher forte e madura, que soube tirar lições dessas adversidades sem cair no lugar comum de deixar-se destruir bancando a vítima.

Infelizmente somos todos responsáveis por situações assim. Homens e mulheres, ainda que inconscientemente, legitimam tais situações. Porque queremos sempre apontar o dedo e julgar os outros e nunca a nós mesmos. Porque os problemas estão sempre na tela da TV ou nos outros, é a velha máxima do “isso nunca aconteceria comigo”. É fogo.


+++ Dia 25/11 foi o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher e o Nós da Rede levantou a bola.

14 comentários:

www.blogstars.com.br disse...

Este BlogStars concorrerá ao selo dourado do dia 28/Novembro à 04/Dezembro - Confira no site blogstars.com.br a partir de 28/Novembro !!!

pedrita disse...

adorei seu blog. vi q vc está concorrendo ao blogstars. eu sempre olho todos para ver qual vou votar na semana e será o seu. boa sorte. beijos, pedrita

Emanuel Colombari disse...

Oi Cláudia!

Há uma piada recorrente que o problema mesmo é falta de mulher. Mas não, nós sabemos que ,de fato, o problema é o excesso de homem. E isso aciona problemas maiores, que não a falta de um parceiro. O pensamento machista mesmo. Ora, eu moro com quase 20 caras, eu sei o que o excesso de testosterona pode causar no meu microcosmo.

Aqui não há mulheres, mas eu não preciso conviver com gente que acha que tem que provar algo a alguém. É horrível morar com gente que fica bradando quwe fulana é gostosa e coisas piores.

Mas como dizia Madre Paulina: "Não desaniemis nunca, embora venham ventos contrários".

Grande Beijos.

Signorina Antonucci disse...

Menina! Mtos aplausos para você! Merecidos.
É muito triste a história do estupro. Aliás a nossa lei é altamente machista, porque só a mulher pode ser estuprada, sabia disso? E não adianta nada estar no rol dos crimes hediondos, que consta da lei de mesmo nome, se chegando para julgamento a lei é desconsiderada frente aos tribunais - a não ser diante dos casos mais escabrosos.
Sem contar que nós mulheres ao invés de combatermos apenas porpagamos cada vez mais este pensamento machista também, conscientes ou não.
Enfim, palmas para vc! :)

bijus.

Signorina Antonucci disse...

Comentário mais light:
Li seus posts sobre o HPaHBP. The same. Aliás, terminei ontem de ler as horas e pela primeira vez desde agosto, estou relendo o livro.

Bijus.

PS: e viva os Marauders! :)

Dharyne disse...

Ótimo seu texto...realmente vivemos numa sociedade machista ao extremo ainda...infelizmente!

Te adoro!

Beijinhosss

terragel disse...

CLAUDIA,as vezes eu acho que dentro de certas pessoas tem outra pessoa, que se perdeu pelo caminho em algum ponto da vida. Talvez essa outra pessoa rteclame o direito de satisfazer suas taras, não se importando com as consequencias em suas vidads e nas dos outros. Essa outra pessoa dentro de determinada pessoa diz sim enquanto a primeira diz não, de qualquer maneira ainda é a mesma pessoa que na realidade está perdida dentro dela mesmo.
Claudia, eu escrevi assim confuso só pra mostrar que marérias desse nível psicolígico são de dificeis comentários, porque só falar sem saber dos fatos que compõe cada individuo, cada família e a cultura daquele povo, seria meio que irresponsável. De qualquer maneira esse teu texto é interessante porque daí podemos tirar milhares de interpretaçÕes.
Bjs

Gué disse...

Achei muito interessante seu blog, parabéns!

Gué

Pedro Junior disse...

Oi Claudia
parabens pelo sucesso do seu blog
beijos - CC Pedro

Dayanna disse...

Olá Cláudia!!! Profundo o q vc escreveu...to zuando, alias to zuando mesmo, pq eu não li, desculpa, to meio enroladinha e c pressa...mas se eu tô, imagina vc!!!
Mas a verdade é q eu tive q passar aqui pra dar meu coment...na realidade dizer q eu to c muita saudade d vc e do resto da galera da aliança, é bem provavel q ano q vem eu volte!!!
E como vc tá?!
Eu continuo no teatro e dançando mt forró...um poukinho q funk...A carne é fraca né?!
Bom só queria dizer q te adoro!!!!
Desculpe pelas abreviações!Essa juventude é uma tristeza!!!hehehe

Ah passa no meu flog...www.flogao.com.br/encontranoisnoforro

Um super beijo!!!
Ah quase q eu esqueci...a Célia encontrou o Daniel, e ele disse q vai tentar reativar o "soucoupe-volante"...ia ser legal!!!

Tchauzinnn....

Nihilus disse...

Homens ao Poder! Mulheres na Cozinha!!! :)

Só a brincar, ok?

Um abraço e parabéns pelo blog interessante

Clown disse...

Putz...
Acho que ontem mesmo escrevi no meu blog sobre esse assunto. Aconteceu comigo também, mas não foi meu pai nem meu padrasto.
Adorei este lugar! parabéns pelo Blog, é ótimo!

Anônimo disse...

http://somagui.zip.net
Eu não sou responsável e nem vc. O responsável por esse estado de coisas é o sistema machista que mantem uma politica de acobertamenteo e insentiva revistas, filmes, programas que tornam a mulher eterna puta.Também a justiça omissa e safada com pessoal preguiçoso e distante dos anseios do povo. E mais a religião que trata a Eva como responsável por ter tentado o homem e tirado a todos do paraiso. Cinicos todos.

Adryka disse...

Amiga eu n/ acredito nisso, a não ser porque está frio, porque aqui na europa como aí cada um veste o que quer e anda como quer, o convenhamos com este frio que faz aqui e com o calor que faz aí...vistas as coisa a mini saia ou a blusa transparente é crime, por é pneumonial de certeza.
Beijokas cá como aí tudo é igual só que aí há muito mais tempo de calor